JORNAL TERESINA NEWS: Maio 2016

Anuncio

terça-feira, 31 de maio de 2016

BOM CHEGOU A HORA , ESTÁVAMOS ANSIOSOS, AGONIADOS, E POR QUE NÃO NERVOSOS, APESAR DA EXPERIENCIA FORAM DIAS DUROS MAIS ENFIM UM SONHO QUE SE CONCRETIZA. AMANHÃ AS 09 HORAS DA MANHÃ DEPOIS DE VÁRIOS DIAS DE AJUSTES, PARCERIAS, E PORQUE NÃO DISSER MUITO TRABALHO ENTRA NO AR DEFINITIVAMENTE A NOSSA RÁDIO A SUA RÁDIO, A RÁDIO AVANTE DA CIDADE DE TERESINA CAPITAL DO PIAUI DEIXA DE SER EXPERIMENTAL E PASSA A TRANSMITIR PARA TODO O MUNDO VIA INTERNET NO SEU COMPUTADOR, TABLETE E NO SEU CELULAR. VAMOS TER MUITA MUSICA, INFORMAÇÃO E ENTREVISTAS. E PARA COMEÇAR O CANTOR MINEIRO SAULLO MORAIS BATE UM PAPO CONOSCO.ENTÃO FICA O CONVITE. AMANHÃ, QUARTA-FEIRA DIA 01 DE JUNHO DE 2016 VAI SER INAUGURADA A RÁDIO AVANTE. ACESSE 
www.radioavance,com , www.jornalteresinanews.blogspot.com ou www.tudoasabereverdetudoumpouco.blogspot.com 
E NOS OUÇA.
WALDIR JUNIOR
GEOVANE RAMOS

PF indicia presidente do Bradesco na Operação Zelotes


POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE: ESTADÃO

A PF indiciou o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco, e dois executivos do banco no inquérito da Operação Zelotes que investiga compra de decisões no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais). As investigações mostraram que o grupo investigado por corromper integrantes do Carf conversou com executivos do banco a respeito de um “contrato” para anular um débito de R$ 3 bi com a Receita Federal.
A PF já havia apontado em relatório que Trabuco e os outros dois executivos da instituição financeira se encontraram com emissários da organização criminosa para discutir como seria a atuação no órgão. A PF também indiciou o auditor da Receita Federal Eduardo Cerqueira Leite, que teria articulado a reunião entre os integrantes do esquema e o comando do banco. No total, foram pedidos dez indiciamentos.
A conclusão do inquérito relativo ao Bradesco já foi encaminhado pela PF ao Ministério Público Federal, que pode ou não apresentar denúncia à Justiça Federal.
Os indiciamentos são pelos crimes de tráfico de influência, corrupção ativa e passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro. Trabuco foi indiciado por corrupção ativa. O Ministério Público confirmou que recebeu da PF os indiciamentos.
O Bradesco nega ter contratado serviço de lobistas no Carf e afirma que Trabuco não participou de qualquer reunião com o grupo citado.
Presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco
BAHIA

Trabalhadores em regime de escravidão são resgatados em Vitória da Conquista, Bahia.

POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE: CORREIO

Cinco trabalhadores foram resgatados na segunda-feira (30) de uma fazenda na
 zona rural de Vitória da Conquista, sudoeste baiano, onde eram mantidos em
 condições de regime análogo à escravidão. Segundo o Ministério Público do
 Trabalho (MPT) na Bahia, os trabalhadores eram mantidos em alojamentos sem 
condições de saúde e higiene e atuavam sem contratos de trabalho, entre outras irregularidades.
Os trabalhadores foram retirados do local pela Polícia Rodoviária Federal e
 retornaram para suas residências em Itambé. O dono da fazenda foi preso
 em flagrante pela PRF e levado à Superintendência da Polícia Federal de Vitória  da Conquista.
Trabalhadores estavam alojados em curral, ao laddo de cavalos, sem as mínimas condições de higiene (Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária Federal)
Alojamentos foram interditados 
(Foto: Divulgação)
A operação de resgate foi feita por uma força-tarefa que inclui MPT, Ministério do Trabalho, governo estadual e PRF. O grupo foi até o local após denúncia de trabalho irregular e em condições degradantes na fazenda. Os trabalhadores foram contratados há dois meses pelo dono da Fazenda Rancho Fundo para atividade de roçagem do pasto na fazenda, que fica a cerca de 20 km do Centro de Conquista. Eles recebiam R$ 40 por dia trabalhado. 
Os cinco trabalhadores resgatados receberam nesta terça carteiras de trabalho e guias para dar entrada no seguro-desemprego. O procurador do MPT, Ilan Fonseca, afirmou que vai solicitar a assinatura da carteira de trabalho dos trabalhadores, bem como pagamento de rescisões no valor de cerca de R$ 20 mil. Ele ainda vai ajuizar ação civil pública pedindo indenização pelos danos morais individuais e coletivos praticados. 
O alojamento foi interditado. Os empregados dormiam em camas improvisadas, ao lado de cavalos, sem sanitários e sem condições de higiene, ao lado de um fogareiro aceso. Eles trabalhavam sem equipamento adequado, comiam carne que era preparada sem higiene e não tinham carteiras assinadas.

SENADO APROVA PL QUE ELEVA PENA PARA ESTUPRO COLETIVO

POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE:AGÊNCIA BRASIL

  • Proposta é da senadora Vanessa Grazziotin - Foto: Jonas Pereira | Agência Senado
    Proposta é da senadora Vanessa Grazziotin


  • Uma semana após se tornar público o caso do estupro coletivo de uma adolescente
  •  no Rio de Janeiro, ocorrido no sábado, 21, o plenário do Senado aprovou 
  • nesta terça-feira, 31, por unanimidade, projeto de lei que tipifica os crimes de 
  • estupro coletivo e de divulgação de imagens desse tipo de crime.
  • Pela proposta, de autoria da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), a pena 
  • para o crime de estupro praticado por duas ou mais pessoas poderá ser aumentada 
  • de
  •  um a dois terços.
"Temos que a reprovabilidade da conduta nos estupros perpetrados por diversas
 pessoas, na mesma ocasião, é mais elevada que nos demais crimes contra a 
dignidade sexual, pois a pluralidade de agentes importa, além da covardia explícita 
e da
 compaixão inexistente, em ainda mais sofrimento físico e moral, medo e humilhação 
para a vítima", argumentou a senadora Simone Tebet (PMDB-MS), relatora da matéria.
Uma emenda da relatora transforma em crime, com pena de reclusão de dois a 
cinco anos, oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar ou divulgar,
 por qualquer meio, inclusive sistema de informática ou telemático, fotografia,
 vídeo ou outro registro que contenha cena de estupro.
"A divulgação do estupro e, a partir desse momento, sua virtual e eterna permanência 
na internet não gera apenas prejuízos morais à vitima, a exemplo de um xingamento
 ou de uma mera depreciação pessoal. A divulgação perturbará seu convívio familiar, desestabilizará suas relações sociais, deixará sequelas em futuros relacionamentos amorosos e na imagem que a vítima buscará construir a respeito de si mesma", 
acrescentou Simone Tebet.
A matéria estava na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado,
 mas o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), propôs a apresentação de um requerimento assinado pelos líderes para que a votação fosse levada diretamente ao plenário.
O requerimento foi aprovado no início da noite e, depois de votada as matérias pautadas,
 o mérito do projeto foi aprovado. O texto segue agora para apreciação da Câmara dos Deputados.
De acordo com o Artigo 213 do Código Penal, constranger alguém, mediante violência 
ou grave ameaça, a praticar sexo ou a praticar ou permitir que com ele se pratique 
está sujeito à prisão de seis a dez anos.
Se da conduta resultar lesão corporal de natureza grave ou se a vítima é menor de 
18 anos ou maior de 14 anos, a pena passa a ser de oito a 12 anos. Se da conduta 
resultar na morte da vítima, passa a ser de 12 a 30 anos de prisão.

Polícia fecha fábrica clandestina de armas artesanais em João Lisboa, MA

POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE : G1

Uma fábrica clandestina de armas artesanais foi fechada pela Polícia Civil do Maranhão na noite desta segunda-feira (30), em João Lisboa, município distante a 650 quilômetros de São Luís. No local, também, era feita a manutenção de armas industrializadas e revendia munições.

Segundo a polícia, a ação foi em cumprimento a um mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça de João Lisboa, ocasião em que foi preso o responsável pela fábrica, identificado como Francisco das Chagas Conceição Macedo. Ele foi preso e autuado em flagrante.

Na ação, foram apreendidos mais de 70 armas e várias munições. Entre os materiais apreendidos estão armas de vários calibres, entre elas uma pistola calibre 635 desmontada; um revólver calibre 22 desmontado; peças de dois revólveres calibre 38 desmontados; grande quantidade de peças e suprimentos, além de munições de vários calibres, entre eles de pistola 40 e rifle 44.

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Em livro, Tite revela que chamou Pato de egoísta após cavadinha em pênalti


POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE GLOBO ESPORTE

O técnico Tite, do Corinthians, participou, na noite desta segunda-feira, do lançamento de sua biografia, em São Paulo. Escrito pela jornalista Camila Mattoso, da “Folha de S.Paulo”, o livro, de  227 páginas, traz muitas informações pessoais sobre o treinador, como o relacionamento complicado com a irmã e a personalidade difícil do pai.
A publicação também apresenta detalhes de bastidores da carreira do técnico, principalmente das passagens vitoriosas por Internacional e Corinthians, onde é ídolo e comandante atualmente. Uma das principais envolve o atacante Alexandre Pato. Após perder pênalti nas quartas de final da Copa do Brasil de 2013 ao arriscar uma cavadinha em Dida, do Grêmio, o jogador recebeu dura bronca no vestiário. Tite e outros jogadores tiveram de ser contidos diante da raiva contra o atacante, a quem julgaram imaturo.
Tite lançamento livro (Foto: Diego Ribeiro)
Tite é cercado durante lançamento de sua biografia
(Foto: Diego Ribeiro)
Trecho do livro reproduz o que Tite falou a Pato no vestiário: "Danilo, errar é do jogo. Edenilson, é do jogo, é da vida, faz parte. Olha para mim, Pato: tu não é da vida. O jeito que tu perdeu, não é. Tu tem que aprender a trabalhar em equipe, tu tem que deixar de ser egoísta. Tu tem que amadurecer e virar homem". 
O técnico relatou que o próprio Dida, goleiro consagrado e que havia sido colega de Pato no Milan, havia ficado ofendido com a tentativa. O gol o depreciaria.
Outras polêmicas envolvendo jogadores são contadas no livro. Jorge Henrique, por exemplo, teria chegado alcoolizado a um treino dias antes da viagem para o Mundial de Clubes de 2012, levou dura do elenco em Dubai, nos Emirados Árabes, no caminho para o Japão, e acabaria fora do clube no ano seguinte após mentir para o treinador e inventar uma doença do filho para justificar um atraso.
Emerson Sheik, herói do título da Libertadores de 2012, também foi outro que levou chamada de Tite. Além dos atrasos recorrentes a treinos, a foto publicada em uma rede social dando um selinho em um amigo pegou muito mal com Tite, que considerou uma polêmica desnecessária para o momento tão conturbado que vivia o time em 2013. 
Em relação a Adriano Imperador, Tite admite que ele dava muito trabalho fora de campo, e que quase chegaram às vias de fato em 2011. 
O livro fala ainda sobre o relacionamento complicado de Tite com o presidente Mário Gobbi Filho, em 2013, que culminou com a saída do técnico em dezembro. Com uma péssima campanha no Brasileirão daquele ano, Tite quase pediu demissão após derrota por 4 a 0 para a Portuguesa, mas foi convencido pelos jogadores a continuar. Pouco depois, após derrota por 1 a 0 para o Grêmio, Gobbi estava certo de que iria demiti-lo, mas jogadores de novo impediram a decisão.
A má relação de Tite e Gobbi ficou marcada também pela contratação de Mano Menezes para a temporada de 2014. Na visão de Tite, o acerto aconteceu antes mesmo de sua saída.

ANVISA PROÍBE VENDA DE LOTE DE EXTRATO DE TOMATE

POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE:ATARDE

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda de um lote do extrato de tomate da marca Elefante nesta segunda-feira, 30, no Diário Oficial da União. A decisão foi tomada após um laudo detectar "matéria estranha".  
Segundo a Anvisa, a substância indica "risco à saúde humana acima do limite máximo de tolerância".
A empresa Cargill que produz o molho, terá que retirar do mercado o lote L011810, com validade até 7 de outubro de 2016.
Confira a nota da empresa:
A Cargill tomou conhecimento hoje da posição da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e tomará as providências cabíveis em relação ao lote L011810, do extrato de tomate da marca Elefante, embalagem lata de 340 gramas com validade 07/10/2016.
A presença de fragmentos microscópicos nesse tipo de alimento é inerente a matéria-prima advinda do campo, entretanto são adotados cuidados no processo de fabricação, inclusive com a pasteurização do produto, o que elimina quaisquer riscos à saúde humana.
A empresa reitera ainda o compromisso com o cumprimento de todas as normas de segurança dos alimentos e padrões de higiene e permanece à disposição para quaisquer esclarecimentos que se façam necessários.
Lote L011810 da marca deverá ser retirada do mercado - Foto: Divulgação
Lote L011810 da marca deverá ser retirada do mercado
Ex-participante do “The Voice Brasil” morre em acidente de carro em SP
POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE TV GLOBO

Ex-participante do “The Voice Brasil”, da TV Globo, Renan Ribeiro faleceu, no último domingo (29), em um acidente de carro na Rodovia João Tozella (SP-147), em Mogi Mirim (SP).
Renan Ribeiro tinha apenas 26 anos
A Polícia Rodoviária informou que a caminhonete do músico colidiu frontalmente com uma carreta. No “Bom Dia Brasil”, os oficiais disseram que o motorista da carreta viu o cantor perder o controle, mas não conseguiu desviar.
O corpo do rapaz de 26 anos será levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Mogi Guaçu (SP). Informações a respeito do velório e enterro ainda não foram divulgados.

PGR nega pedido para suspender nomeações de Temer para ministérios

POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE: AGÊNCIA BRASIL

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, negou pedido do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) para suspender nomeações de ministros feitas pelo presidente interino Michel Temer. Pimenta entrou com uma representação na procuradoria, por meio da qual alegou que “diversos ministros da equipe são objeto de investigações criminais” e deveriam ter as nomeações suspensas.
Em ofício enviado ao deputado no dia 24 de maio, Janot arquivou o pedido e disse que vai adotar as “processuais adequadas, quando for o caso” ao examinar cada caso individualmente.
Na representação enviada à PGR, Pimenta pediu que Janot adotasse os mesmos critérios do parecer no qual se manifestou contra a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para chefia da Casa Civil do governo da presidente afastada Dilma Rousseff, por entender que a nomeação seria uma forma de desvio de finalidade.
Ao negar o pedido, Janot explicou que o deputado comparou situações diferentes. “É logicamente inadequado e juridicamente incorreto simplesmente transpor a conclusão daquele parecer para outras situações. Cada caso deve ser examinado de maneira específica”, afirmou o procurador.
Na manifestação, Janot disse que vai examinar “cada situação no curso das próprias investigações e adotará as medidas processuais adequadas, quando for o caso, como tem feito em todos os processos sob sua responsabilidade. ”
“Se houver necessidade de medidas judiciais por parte da PGR contra qualquer autoridade, independentemente de ideologia e cor partidária, elas serão adotadas no tempo próprio, que nem sempre correspondem ao tempo da imprensa nem ao do jogo político-partidário”, concluiu.
Procurador Rodrigo Janot
Para Rodrigo Janot, o deputado Paulo Pimenta comparou situações diferentes José Cruz/Agência Brasil
Política

Fabiano Silveira pede demissão do Ministério da Transparência


POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE: ESTADÃO

O ministro da Transparência, Fiscalização e Controle, Fabiano Silveira, enviou uma carta de demissão e telefonou na noite desta segunda-feira, 30, para o presidente em exercício, Michel Temer, e oficializou o seu pedido para deixar do cargo. Temer, que até então vinha afirmando que o manteria na pasta, acatou o pedido. O conteúdo da carta ainda não foi divulgado. 
A queda de Silveira acontece uma semana após o afastamento de Romero Jucá do ministério do Planejamento. O ex-ministro também foi flagrado em áudios com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. Segundo interlocutores, Temer havia decidido até o momento tentar não ceder à pressão para evitar um efeito cascata: "a cada crítica ou denúncia, uma queda". 

Temer havia telefonado mais cedo para Silveira para dizer que o manteria no cargo. No entanto, a pressão de centenas de servidores que anunciaram que deixariam o cargo se ele permanecesse foi mais forte e pesou na decisão do ministro. 
Para interlocutores que defendiam a manutenção de Silveira no governo os áudios divulgados "não são comprometedores". A permanência de Silveira também agradaria o presidente do Senado, Renan Calheiros, que também foi flagrado nas conversas. A avaliação é de que a queda de Silveira poderia enfraquecer diretamente Renan. 
No início da noite, Renan divulgou nota rechaçando sua influência no governo em exercício. "Em face das especulações, reitero de maneira pública e oficial que não irei indicar, sugerir, endossar, recomendar e nem mesmo opinar sobre a escolha de autoridades no governo do Presidente Michel Temer", afirmou.
"Por enquanto" 
No início do dia, após reunião com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, Temer havia decidido manter o ministro no cargo "por enquanto", mas tinha deixado a ressalva de que poderia vir "uma segunda ordem". Desde cedo, interlocutores reconheciam que começar novamente uma semana "apagando incêndio" gerava um desgaste para Temer. "O assunto dominante é esse, vamos de novo começar a semana no improviso", disse um assessor palaciano.
ECONOMIA

Empresa chinesa vai implantar fábrica de motos em Una, no sul da Bahia

POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE:CORREIO 24 HORAS

A empresa asiática China Yasuna Group inicia em julho as obras da montadora Yasuna Motors do Brasil em Una, no sul da Bahia, anunciou nesta segunda-feira (30) o governo do estado. Será a primeira fábrica de motos da empresa chinesa em território brasileiro. O empreendimento tem recursos da ordem de R$ 62 milhões e a princípio deve gerar cerca de 300 vagas de emprego diretos e 150 indiretos.
(Foto: Mateus Pereira/GOVBA
“Mesmo com a instabilidade econômica pela qual está passando o país, a Bahia
continua garantindo a atração de investimentos, que resultam em emprego e renda para os baianos”, diz em nota o governador Rui Costa, que em março viajou para a China buscando atrair mais investimentos. 
O secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, afirmou que o benefício da instalação da fábrica será sentido de maneira imediata. "Será uma fábrica de montagem de motos muito modernas, inicialmente, de 50 a 125 cilindradas para atender bem a população. A montadora vai aumentar a capacidade do estado de empregar pessoas e capacitá-las".
Segundo o governo, o município de Una foi escolhido por conta da facilidade prometida por projetos como a Ferrovia Oeste-Leste (Fiol) e do Porto Sul.
A China Yasuna Group é uma empresa que trabalha há mais de 30 anos no ramo de fabricação e exportação de peças automotivas para motocicletas e ciclomotores, sendo detentora de 20% do mercado global chinês.
'Lula tinha pleno conhecimento de que o mensalão não era 'caixa 2' de eleição', diz Pedro Corrêa
POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE: ESTADÃO
A delação premiada do ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP-PE) confirma a tese sustentada pela força-tarefa da Operação Lava Jato de que os escândalos da Petrobrás e do mensalão tiveram como origem uma sistemática única de corrupção para compra de apoio político para manutenção do poder com a participação direta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
“Lula tinha pleno conhecimento de que o mensalão não era ‘caixa dois’ de eleição, mas sim propina arrecada junto aos órgãos governamentais para que os políticos mantivessem as suas bases eleitorais e continuassem a integrar a base aliada do governo, votando as matérias de interesse do Executivo no Congresso Nacional.”
O trecho é parte do “Anexo 4″ da delação de premiada de Corrêa, com o resumo do tema tratado sobre “suposto envolvimento de Lula nos esquemas de corrupção”. Nele, há um item específico sobre o “mensalão” – primeiro grande escândalo da era PT no governo federal. Após revelação do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) descobriu-se que o então ministro da Casa Civil, José Dirceu, comandava a compra de parlamentares da base aliada em troca de apoio político.
José Dirceu e Pedro Corrêa foram condenados no mensalão, em 2012, em processo final no Supremo Tribunal Federal (STF). Os dois foram presos em 2013 e acabaram novamente detidos e condenados no escândalo da Lava Jato. O juiz federal Sérgio Moro aplicou a Dirceu a mais longeva pena, nesses dois anos de operação: 23 anos de reclusão.
Corrêa relata as reuniões em que participava do Conselho Político criado por Lula.© Foto: Fornecido por Estadão 
Corrêa relata as reuniões em que participava do Conselho Político criado por Lula. “Nas quais sempre estavam presentes o presidente Lula, o ministro José Dirceu, o ministro Antônio Palocci e, depois, o ministro Aldo Rebello e os presidente dos partidos base aliada.”
Segundo o delator, que foi presidente do PP, nesses encontros “se discutiam os assuntos que seriam tratados no Congresso Nacional e as dificuldades de vários parlamentares dos partidos presentes”. “Muitas dessas dificuldades tratadas estavam umbilicalmente ligadas com o Petrolão, por àquele tempo já havia arrecadação dentro das empresas e órgãos públicos, sobretudo dentro da Petrobrás.”
Lula foi pego em grampos na Lava Jato.
Corrêa afirmou que nos encontros com Lula e seus ministro do “Conselhão” os presidentes ou líderes dos partidos da base aliada “faziam queixas relacionadas às dificuldades que estavam tendo junto aos dirigentes indicados para os cargos federais do governo, os quais não estavam se empenhando em atender às reivindicações dos parlamentares”.
“O presidente Lula encarregava o ministro José Dirceu de fazer as cobranças sobre os dirigentes para que atendessem, com mais presteza às solicitações dos partidos. Em alguns setores as reivindicações eram de arrecadação de propina e, em outros, de interesses políticos, visando o favorecimento dos estados e municípios dos parlamentares.”
Cassado em 2006 na Câmara dos Deputados, a quarentena imposta a Corrêa pela cassação terminou no ano em que foi deflagrada a Lava Jato. Depois de condenado e preso em 2013, o delator cumpria pena em regime semi-aberto, em Pernambuco, quando foi detido pela Lava Jato, em abril de 2015 – alvo da 11ª etapa denominada “A Origem”.
Para Sérgio Moro, “a prova do recebimento de propina mesmo durante o processamento da Ação Penal 470 reforça os indícios de profissionalismo e habitualidade na prática do crime, recomendando, mais uma vez, a prisão para prevenir risco à ordem pública”.
“(Corrêa) é recorrente em escândalos políticos criminais e traiu seu mandato parlamentar e a confiança que a sociedade brasileira nele depositou”, escreveu Moro. “Nem o julgamento condenatório pela mais Alta Corte do País representou fator inibidor da reiteração criminosa, embora em outro esquema ilícito.”
Outros alvos da Procuradoria no escândalo mensalão estão no radar da Lava Jato. Entre eles o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, o ex-secretário-geral do partido Sílvio Pereira e o publicitário Marcos Valério.
LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA DO INSTITUTO LULA
Em nota, o Instituto Lula destacou que o ex-deputado Pedro Correa já foi condenado a uma pena superior a 20 anos de prisão pela prática de 72 crimes de corrupção e 328 operações de lavagem de idnheiro. O Instituto Lula classifica de ‘farsa histórica’ a delação do ex-deputado.
“Pedro Corrêa foi condenado pelo juiz Sergio Moro a mais de 20 anos de cadeia por ter praticado 72 crimes de corrupção e 328 operações de lavagem de dinheiro. Foi para não cumprir essa pena na cadeia que ele aceitou negociar com o Ministério Público Federal uma narrativa falsa envolvendo o ex-presidente Lula.
É repugnante que promotores transcrevam uma farsa histórica em documento oficial e promovam seu vazamento, claramente direcionado a atingir a honra do ex-presidente Lula.
O Estado de Direito não comporta esse tipo de manipulação, insidiosa e covarde, nem por parte dos agentes públicos nem dos meios de comunicação que dela se aproveitam numa campanha de ódio e difamação contra o ex-presidente Lula.
O vazamento dessa farsa é mais uma evidência de que, após dois anos de investigação, a Lava Jato não encontrou um fiapo de prova ou sequer indício de participação de Lula nos desvios da Petrobras, porque o ex-presidente sempre agiu dentro da lei. E por isso apelam a delações mentirosas como a do sr. Pedro Correia.”
COM A PALAVRA, O ADVOGADO CRISTIANO ZANIN MARTINS, QUE DEFENDE LULA:
Em nota, o advogado Cristiano Zanin Martins chamou de ‘narrativa tosca’ a delação do ex-deputado. “Se a Lava Jato precisa de uma narrativa tão tosca e vinda de um condenado reincidente, como Pedro Corrêa, para legitimar uma investigação contra o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, isso só confirma o que dizemos há dois anos: Lula não praticou nenhum ato ilícito antes, durante e depois de exercer a Presidência da República.”

domingo, 29 de maio de 2016


HOMENAGEM DA RÁDIO AVANTE DA CIDADE DE TERESINA NO PIAUI AO CANTOR MÁRIO SÉRGIO VOCALISTA DO GRUPO FUNDO DE QUINTAL QUE HOJE NOS DEIXOU E COM CERTEZA ESTARÁ JUNTO DE OUTROS ARTISTAS FAZENDO AQUELE PAGODE GOSTOSO COLADO, COMO ELE GOSTAVA DE DISSER, AO GRANDE SENHOR DE TODOS OS SENHORES.


Fundo de quintal - Nosso Grito - + de 2.200.000 visualizações no
YouTube






FAMOSOS

Aos 58 anos, morre Mário Sérgio, vocalista do grupo Fundo de Quintal

POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE/ TUPI FM/CBN RJ/CORREIO

O samba amanheceu de luto após grande perda, na madrugada deste domingo (29). O cantor Mário Sérgio, vocalista do tradicional grupo 'Fundo de Quintal', morreu aos 58 anos. A causa da morte ainda não foi divulgada.
O cantor estava internado há seis dias em um hospital de Nilópolis, na baixada Fluminense, onde tratava de um linfoma. A informação do seu óbito foi confirmada no perfil oficial da banda. "É com pesar que o Grupo Fundo de Quintal comunica o falecimento do nosso amigo e parceiro Mário Sérgio".
(Foto: Reprodução/Facebook)
Alguns nomes importantes do samba também comentaram a perda de Mário Sérgio. "Mais um poeta partindo,vai na fé Mário Sérgio. Já está fazendo falta", comentou Dudu Nobre. Outro que lembrou o artista foi o cantor Thiaguinho. 
"Luto! Nosso amigo e referência musical, se foi... Mário Sérgio (Fundo de Quintal), sentiremos saudades de você, mas suas lindas canções estão eternizadas aqui nos nossos corações. Muito obrigado por cantar em meu casamento... Muito obrigado pela companhia em Buenos Aires. E, pode ter certeza, vou terminar aquela canção que estávamos compondo... Estou muito triste! Sou muito fã! Vai com Deus, Marião!".

Alan Pulido, atacante do Olympiacos, está desaparecido no México

POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE: AFP

Familiares de Alan Pulido, atacante do Olympiacos da Grécia, denunciaram seu desaparecimento na madrugada deste domingo em Ciudad Victoria, em Tamaulipas (nordeste), um dos estados mais perigosos do México. Segundo as autoridades, as forças de segurança já realizam buscas.
"Se confirma o desaparecimento do jogador de futebol Alan Pulido nesta noite, depois de retornar de uma festa celebrada ao norte da cidade", disse à imprensa o procurador de Tamaulipas, Ismael Quintanilla.
Quintanilla informou que Pulido, de 25 anos de idade, "foi interceptado por pessoas armadas e desde então se desconhece seu paradeiro".
O procurador afirmou que está sendo empregada uma forte operação com forças estaduais e federais por ar e terra em Ciudad Victoria e na região de Tamaulipas, fronteiriça com os Estados Unidos.
Tamaulipa é o estado mexicano que registra o maior número de pessoas desaparecidas, a maioria nas mãos de traficantes.
Um alto funcionário da procuradoria de Tamaulipas, que pediu para não ser identificado, disse à AFP que familiares denunciaram o desaparecimento do jogador nesta madrugada e que se "está trabalhando em sua busca".
Segundo versões divulgadas na imprensa local, Pulido acompanhou sua namorada em uma festa em Ciudad Victoria e quando retornava a seu carro, pouco antes da meia-noite, vários indivíduos que se encontravam em caminhonetes o teriam levado à força.
Sua namorada teria sido liberada imediatamente, mas se desconhece o paradeiro do jogador. Segundo as autoridades, a família não recebeu pedidos de resgate até o momento.
"Sim, é verdade, (Alan) desapareceu desde a madrugada (...). Estamos aguardando o que vai acontecer", disse seu irmão, Armando Pulido, a um canal de televisão local.
O Olympiakos anunciou neste domingo que está em constante contato com a família do atacante. O clube também informou que seu diretor esportivo Giannis Vrentzos se comunicou com o embaixador mexicano em Atenas, Tarcisio Navarrete Montes de Oca, que lhe disse que ainda não há um anúncio oficial sobre o caso.
O embaixador garantiu a Vrentzos que "as autoridades mexicanas estão fazendo tudo o que é possível”.
BRASIL

A cada 4 minutos, 1 mulher dá entrada no SUS vítima de violência sexual e física

POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE:ESTADÃO

Os atendimentos a mulheres vítimas de violência sexual, física ou psicológica em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) somam, por ano, 147.691 registros - 405 por dia, ou um a cada quatro minutos. A maior procura por serviços de saúde após casos de agressão se dá entre adolescentes de 12 a 17 anos, faixa etária das duas vítimas de estupro que ganharam repercussão na semana passada, no Rio e no Piauí.
Especialistas apontam para a necessidade de se encerrar a “lógica justificadora” que tenta lançar para as vítimas a culpa pelos crimes. Os dados integram o Mapa da Violência - Homicídio de Mulheres, um dos mais respeitados anuários de violência do País. As estatísticas foram reunidas com base no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde, que registra os atendimentos na rede do SUS.
O relatório mostra que Mato Grosso do Sul, Acre, Roraima, Tocantins e Minas lideram a lista de Estados com as maiores taxas de procura por atendimento. O registro mais recente do Sinan contém dados de 2014 - o estudo foi concluído no fim de 2015. O cônjuge da vítima aparece como o agressor mais frequente, responsável por 22,5% das ocorrências; outras pessoas próximas de adolescentes e mulheres também são apontadas como responsáveis por ataques, como namorado, ex-namorado, irmão, pai e padrasto.
Em só 13% dos casos, a agressão é cometida por uma pessoa desconhecida. No caso do Rio, um dos suspeitos é ex-namorado da vítima de 16 anos que diz ter sido atacada por mais de 30 homens no Morro da Barão.
“A normalidade da violência contra a mulher no horizonte cultural do patriarcalismo justifica, e mesmo 'autoriza', que o homem pratique essa violência, com a finalidade de punir e corrigir comportamentos femininos que transgridem o papel esperado de mãe, esposa e dona de casa”, aponta o Mapa da Violência - Homicídio de Mulheres.
“Culpa-se a vítima pela agressão, seja por não cumprir o papel doméstico que lhe foi atribuído, seja por 'provocar' a agressão dos homens nas ruas ou nos meios de transporte, por exibir seu corpo.”
Ao jornal O Estado de S. Paulo, Julio Jacobo Waiselfisz, coordenador da pesquisa e da área de estudos sobre violência da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), reforça a tese e diz ver uma reação conservadora à tentativa de ampliação de direitos pelas mulheres.
Julio Jacobo Waiselfisz, coordenador da pesquisa e da área de estudos sobre violência da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso
“Na medida em que se criam condições sociais de proteção, mais violento se torna o agressor. É uma reação conservadora do patriarcalismo machista que persiste no Brasil”, diz Waiselfisz. “E, hoje, estamos assistindo a uma cultura em que está permitindo esse tipo de violência.”
Reincidência
Os dados do Mapa da Violência mostram também que são as mulheres jovens as que mais voltam para novos atendimentos no SUS após outros casos de violência.
“A violência contra a mulher é mais sistemática e repetitiva do que a que acontece contra os homens. Esse nível de recorrência da violência deveria ter gerado mecanismos de prevenção, o que não parece ter acontecido”, diz Waiselfisz.
Para a secretária nacional de Direitos Humanos, Flávia Piovesan, “é fundamental trabalhar em educação e capacitação dos operadores da segurança pública e da Justiça para que entendam que a violência contra a mulher é gravíssima violação contra os direitos humanos”. Ao jornal, ela afirmou também que são necessárias três linhas de enfrentamento do problema.
 Secretária Nacional de Direitos Humanos, Flávia Piovesan
“Precisamos adotar medidas eficazes no que se refere ao dever do Estado de investigar, processar e punir essas violações sob a perspectiva de gênero; adotar todas as medidas para dar total e integral apoio e assistência às vítimas; e adotar medidas preventivas, fomentando educação com parâmetros não sexistas e igualitários. Isso é o mais difícil”, diz Flávia.
Para a promotora paulista especialista em combate à violência doméstica Silvia Chakian, a solução passa pelo combate à impunidade dos agressores, mas também exige medidas educativas. “Os criminosos merecem uma punição exemplar, e essa punição tem de ser divulgada para a sociedade para combater a sensação de impunidade.”
Silvia destaca que o crime do Rio foi seguido por compartilhamentos de vídeos na internet por pessoas que faziam “piadas machistas e julgamento moral”. “Que sociedade é essa que um sujeito compartilha a prova do crime e se gaba dela? E quem são as milhares de pessoas que viram e compartilharam esse material, ajudando a perpetuar esse sofrimento?”, questiona.

"O CASO PC FARIAS CONTINUA A SER MUITO MISTERIOSO"

POR WALDIR JUNIOR DE SALVADOR/BA
FONTE: FOLHAPRESS

Em 2001, ACM (1927-2007) renunciou ao mandato de senador, após escândalo de quebra do sigilo do painel eletrônico da Casa. Cinco anos antes, o duplo assassinato de PC Farias (1945-1996) e de sua então namorada Suzana Marcolino (1968-1996) ganhou repercussão até internacional. Esses e outros casos de grande comoção estão reunidos no livro O Brasil Na Fita - De Collor a Dilma, do Caso Magri à Lava-Jato, o Que Vi e Ouvi em Mais de Vinte Anos (Record, 406 páginas, R$ 49,90), do famoso perito Ricardo Molina. Nas mais de 400 páginas, Molina conta detalhes de casos em que trabalhou e prova como a investigação de um perito é importante na resolução de crimes. Fica evidente também a necessidade de um trabalho minucioso como, por exemplo, perceber o toque contínuo de um relógio ao fundo, comprovando que a gravação não teve cortes ou fazer leitura labial por meio de frames de imagens. Molina deixa de lado a isenção esperada de um perito e revela bastidores - com suas opiniões - de casos políticos como o assassinato de PC Farias, a quebra de sigilo do painel do Senado revelada por ACM em conversa gravada e até o recente diálogo entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (o perito prova que o telefone grampeado era mesmo o de Lula).  De crimes policiais estão lá a chacina de Vigário Geral, o confronto entre os bandidos do PCC e a polícia paulista, a morte de Eloá Pimentel, morta pelo namorado Lindemberg Alves, depois de uma desastrada ação da polícia, e ainda casos de famosos como Belo - que foi preso por envolvimento com o tráfico de drogas - e Mamonas Assassinas, mortos após acidente aéreo na Serra da Cantareira, em março de 1996.  Em entrevista, Molina revela qual caso mais o instigou, diz que lidar com casos políticos é mais complexo do que com os policiais e que deve haver mais interação entre a perícia policial e a universidade. 
Ricardo Molina, perito - Foto: Beto Barata l Folhapress
Ricardo Molina, perito-BETO BARATA FOLHAPRESS
No livro, o senhor reúne importantes casos desde o ex-ministro Antônio Rogério Magri até o recente grampo da conversa entre Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva. Qual foi o critério para escolher quais casos entrariam no livro, já que atuou em muitos casos importantes do país?
Houve vários critérios, um tanto complementares. Um, o da importância política e/ou policial do caso. Assim, por exemplo, casos como a quebra do sigilo do painel do Senado, PC Farias, a chacina de Eldorado de Carajás, Gil Rugai etc., são casos de grande repercussão e que resultaram em consequências importantes (ACM renunciou ao cargo de Senador após ser desmascarado, por exemplo). Outros casos foram incluídos porque envolvem algum tipo de particularidade técnica interessante. Assim, por exemplo, o caso do Osvaldo Manoel da Silva, para o qual houve a necessidade de uma reconstrução computadorizada detalhada. O caso Lindbergh/Eloá, no qual foi necessário uma análise acústica dos disparos. O caso do gol anulado do Obina, o qual, embora não faça o mundo parar, envolve uma curiosidade interessante, qual seja a de que uma análise acústica pode esclarecer se o juiz agiu honestamente ou não.
O senhor se permite opinar no livro diferentemente do que o trabalho como perito permite.. .então, gostaria de saber qual dos casos relatados no livro mais te instiga, surpreende ou choca? Por quê?
É evidente que, se faço um laudo, não emito opiniões que não estejam restritas ao âmbito do trabalho técnico exigido. Mas no livro não sou apenas um perito, sou também um cidadão e, portanto, penso ter o direito de externar algumas opiniões de ordem pessoal. Quanto ao caso que mais me instiga... é difícil. Eu acho que o caso PC Farias continua a ser muito misterioso. Alguns aspectos foram elucidados, mas muitos ainda não. A história oficial (que a namorada de PC, Suzana Marcolino, o assassinou e depois cometeu suicídio) é evidentemente falsa, mas ninguém sabe ao certo o que ocorreu. O caso ACM, como desafio técnico foi muito instigante, visto que, como descrevo no livro, foi extremamente difícil realizar aquela transcrição.
Estamos diante de uma das maiores crises políticas do país, com raízes no mensalão, passando pela Lava-Jato (também na tua obra). É mais complicado lidar com políticos do que com casos criminais?
Tanto o título O Brasil na Fita quanto o subtítulo De Collor a Dilma já existia desde o primeiro momento, quando começamos a escrever há cerca de quatro anos. Foi uma feliz (ou infeliz?) coincidência que os dois presidentes tenham passado por um processo de impeachment. Lidar com política é sempre mais complicado, pois o lado que se sente prejudicado muitas vezes reage, não raramente com fúria. O problema é que em qualquer caso sempre haverá um lado que vai se sentir prejudicado e, nos casos políticos, o perito acaba sendo acusado de partidarismo, mesmo que tenha tido todo o cuidado técnico. Mas são ossos do ofício. Na verdade, como você pode notar, poucos peritos se expõem em casos de repercussão política, exatamente porque temem represálias. Já fui xingado pela internet muitas vezes (elogiado também). Não ligo para essas reações, são normais no campo político. Nos casos policiais muitas vezes há um embate entre peritos. Pode acontecer de eu ter uma opinião diferente da perícia dita "oficial" e essa divergência muitas vezes causa atritos. Tecnicamente essa "oficialidade" nada significa, embora os peritos da polícia queiram confundir "oficialidade" com "apuro técnico", algo que nem sempre é verdadeiro. Auto apregoar uma suposta "infalibilidade" é sinal de prepotência e falta de espírito científico. Em Ciência a discussão é sempre melhor do que as afirmações por demais categóricas.
Um trecho do livro que me chocou bastante foram as transcrições de áudio de conversas entre policiais e traficantes. É mais sensível, digamos assim, trabalhar em casos que envolvem policiais corruptos?
Esses casos são, infelizmente, muito comuns. Coloquei apenas uns exemplos, mas há dezenas da mesma natureza. É lamentável, mas não considero esses casos muito instigantes. Em geral envolvem aspectos técnicos mais rotineiros, sem maiores dificuldades. Como cidadão, vejo uma situação muito complicada, de difícil resolução. O tráfico movimenta grandes quantias e sempre que isso acontece surge a corrupção policial. No Rio de Janeiro, por exemplo, essa relação promíscua está quase institucionalizada. Já houve até um Chefe da Polícia Civil preso por envolvimento com o tráfico. Não vejo solução no curto prazo. O problema das drogas tem que ser repensado.
O que, na opinião do senhor, ainda temos (Brasil) a avançar na área de investigação criminal e política, mais especificamente na área de perícia?
Penso que deve haver uma maior interação entre a perícia policial e a universidade. Ninguém avança sem estar atualizado cientificamente, participando de congressos internacionais importantes. Há um bloqueio dos dois lados: a universidade em geral está muito fechada para o mundo "policial" e , por outro lado, a perícia dita "oficial" está muito ensimesmada e não admite ser confrontada com os critérios rígidos da ciência acadêmica. Faltam também cursos, especialmente de pós-graduação, voltados especificamente para especialidades periciais. Devo ressaltar, entretanto, que nenhum curso vai fazer automaticamente um bom perito. Trata-se de uma carreira que exige um alto grau de vocação.
Para fechar, o senhor também fala no livro que teve que aprender a lidar com a imprensa. Qual foi o momento mais complicado em relação a isto? O caso Magri foi um divisor de águas na tua carreira?
Embora eu já tivesse atuado em alguns casos antes do caso Magri, este foi uma espécie de "batismo de fogo", pois a repercussão na época foi enorme e tive que enfrentar durante cerca de 15 dias entrevistas coletivas, algo que nunca tinha feito antes. Nesse sentido o caso Magri foi mesmo um divisor de águas. Mas entendi logo que o diálogo com a imprensa é bem diferente do diálogo na universidade. É preciso ser conciso, claro e objetivo. Na verdade nunca tive muita dificuldade porque não gosto de muito formalismo. Mesmo no meio acadêmico procuro expor tudo de forma clara. Existe um certo hermetismo na academia que me parece artificial. No meio acadêmico ainda se pode aceitar isso, mas quando se fala para a imprensa é preciso respeitar quem está do outro lado (o telespectador, o leitor, o ouvinte), que não tem nenhuma obrigação de conhecer detalhes técnicos quase sempre chatos.