JORNAL TERESINA NEWS: Outubro 2017

Anuncio

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Tudo que você precisa saber sobre bitcoin

Moeda virtual na internet vem conquistando cada dia mais e mais adeptos no Brasil

Tudo que você precisa saber sobre bitcoin
Em entrevista exclusiva à Sputnik Brasil, Marcos Henrique, sócio da Foxbit, uma das corretoras especializadas nesse negócio, responde a tudo que as pessoas querem saber sobre esse investimento, mas ficam acanhadas em perguntar.
Em primeiro lugar, o especialista explica que o investimento em bitcoins deve ser feito utilizando parte da reserva financeira do aplicador, ou seja, quantia da qual ele não vai precisar a curto e médio prazo. O ideal, diz ele, é programar compras para um cenário de médio e longo prazo, quatro, cinco anos, e estar ciente, como em outras aplicações, que perdas são um risco inerente ao ativo.
O especialista diz que, embora o governo brasileiro se refira à aplicação como moeda virtual, a comunidade bitcoin prefere a nomenclatura moeda digital ou criptomoeda por entender que a expressão moeda virtual é depreciativa e induz à possibilidade de que ela possa desaparecer de um momento para o outro.
Idealizada pelo programador Satoshi Nakamoto, em 2009, a bitcoin surgiu como opção de aplicação financeira fora do mundo físico. Compras e vendas da moeda são feitas pela internet, diretamente entre pessoas físicas ou através de corretoras especializadas, que reúnem compradores e vendedores.
"A criptomoeda está crescendo em escala geométrica no mundo nos últimos anos, e isso é o começo apenas. É uma tecnologia inovadora e como todas as outras tem um empuxe inicial muito grande que leva a valores e distribuição em escala global. O bitcoin ainda está longe de ser mainstream", explica o sócio da Foxbit.
Henrique diz que hoje em dia, no Brasil, a cotação da bitcoin está em R$ 18.500. ele observa que não é obrigatório a compra de uma bitcoin inteira, ela pode ser fracionada até oito casos depois da vírgula (como se fossem centavos). Na faixa de R$ 20, R$ 50 já é possível comprar parte da criptomoeda.
No que diz respeito à comercialização, o especialista explica que existem duas formas: com alguém de confiança ou através de corretoras especializadas, que Henrique classifica como "centralizadoras de elos de confiança", onde pessoas depositam bitcoins para venda e outras, reais para compras. Apesar de ser uma criptomoeda, a bitcoin pode comprar bens e serviços. Em mercados como os Estados Unidos e mesmo no Brasil, o varejo vai aos pouco aderindo às bitcoins.
"O número de estabelecimentos que aceitam bitcoins no Brasil está crescendo dia a dia. Existe um site chamado coinmap.org, onde as pessoas podem colocar o nome da sua cidade e ver na sua região quais são os comércios que aceitam. Na Grande São Paulo, existem cerca de 100 comércios aceitando, incluindo pizzarias, escritórios de advocacia e os mais diversos produtos e serviços. Para acessar bitcoins é muito fácil. É preciso instalar no celular ou no tablete um aplicativo chamado Blockchain Wallet, uma carteira que vai gerenciar a entrada e saída de bitcoins. Você simplesmente converte o valor em real do seu produto ou serviço pra frações de bitcoin. Você exibe esse código para quem está pagando o serviço ou produto e a pessoa faz a transferência direta para sua carteira de bitcoins", explica o especialista.
Quanto à adesão do sistema bancário a esse sistema, o sócio da Foxbit afirma que a empresa tem contas nos principais bancos brasileiros, como Bradesco, Banco do Brasil, Intermedium, Caixa. Embora ainda não esteja regulado pelo Banco Central, existe um projeto de lei tramitando no Congresso. A Foxbit e outras empresas do mercado procuram assessorar os parlamentares para criação de um conjunto de normas que permitam a expansão dos negócios dentro de normas que assegurem segurança jurídica e financeira aos participantes. A expectativa é que tudo esteja definido até 2018. Apesar disso, todas as operações envolvendo bitcoins devem ser informadas por ocasião da declaração do Imposto de Renda. Com informações do Sputnik
Fonte: Noticias ao minuto

Governo derruba liminar que suspende leilão de pré-sal nesta sexta

Governo derruba liminar que suspende leilão de pré-sal nesta sexta
A liminar que, desde a madrugada desta sexta-feira, 27, suspendia a 2ª e 3ª Rodada de Partilha da Produção, organizada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), foi derrubada. A informação, antecipada pelo Estadão/Broadcast, foi confirmada pela Advocacia-Geral da União (AGU).
A concorrência estava marcada para iniciar às 9h. Executivos das grandes petroleiras estão no hotel Grand Hyatt, na Barra, zona oeste do Rio, desde cedo, aguardando o certame.
Depois de garantir ao governo uma arrecadação de R$ 3,842 bilhões com os blocos de petróleo e gás leiloados em setembro, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realiza nesta sexta-feira, 27, a 2ª e a 3ª rodadas de licitações de áreas de pré-sal. Segundo a ANP, os oito blocos ofertados podem gerar US$ 36 bilhões em investimentos no País e mais US$ 130 bilhões em arrecadação com royalties, óleo-lucro e imposto de renda.
Superada a tensão em torno da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria-Geral, Moreira Franco, o governo aposta na agenda econômica para virar a página e criar um clima positivo. Programado há bastante tempo, o leilão da ANP será o primeiro grande evento econômico após a votação na Câmara.
O governo espera um ágio elevado com a 2ª e a 3ª rodadas de licitações do pré-sal. Em setembro, quando quatro usinas da Cemig foram concedidas a estrangeiros e 37 blocos para exploração e produção de petróleo e gás foram arrematados, o ágio das concorrências garantiu uma receita extra de R$ 4,2 bilhões para o caixa da União.
Finte: Noticias ao minuto

Planalto vai exonerar afilhados de quem votou contra Michel Temer

Planalto vai exonerar afilhados de quem votou contra Michel Temer
© Beto Barata/PR

pós a votação da segunda denúncia contra Michel Temer (PMDB), o Palácio do Planalto já anunciou a primeira lista de exonerações de afilhados de deputados que foram infiéis ao presidente. As retaliações foram enviadas na noite de quinta-feira (26) para serem publicadas no Diário Oficial, segundo adianta a coluna Painel, da Folha de S. Paulo.
O governo constatou que seis parlamentares traíram o presidente e a ordem é não poupar nenhum cargo. Na próxima semana, um nova leva de cortes será publicada, pois não houve tempo para que a Casa Civil assinasse todas as demissões.
A publicação explica que o Planalto seguiu um raciocínio simples para mensurar a erosão da base. Na primeira denúncia, Temer obteve o apoio de 263 deputados, com 19 abstenções. Na segunda, de 251 com 25 ausências. A diferença nas somas dos placares é de seis parlamentares.
Já os deputados de partidos aliados que se declararam favoráveis ao afastamento do peemedebista amanheceram nos gabinetes de ministros do governo. Os parlamentares apresentaram argumentos regionais e pediram clemência por estarem apoiando o presidente.
Fonte: Noticias ao minuto

Cabral irá para presídio onde está um dos líderes do Comando Vermelho

Cabral irá para presídio onde está um dos líderes do Comando Vermelho
© Bruno Itan/ GERJ

Depois de o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, determinar a transferência de Sérgio Cabral para um presídio federal, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), órgão vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, informou, por meio de nota, ontem (26), que ele irá para o Mato Grosso do Sul.
A transferência do ex-governador do Rio de Janeiro para a Penitenciária Federal de Campo Grande deve ocorrer nos próximos dias, mas a data não foi divulgada, por questão de segurança.
O advogado de Sérgio Cabral, Rodrigo Roca, já entrou com um habeas corpus, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), com o objetivo de impedir a mudança. A decisão caberá à relatora da Operação Calicute na Corte, Maria Thereza de Assis Moura.
De acordo com informações de O Globo, a escolha pela casa de detenção se deu porque a gestão de Cabral foi a que mais mandou criminosos para presídios federais. Transferi-lo a alguma penitenciária com grande número de condenados envolvidos com facções criminosas do Rio poderia representar riscos ao ex-governador.
Ainda conforme o jornal, os presos enviados do Rio de Janeiro correspondem a 30% dos internos nas quatro prisões federais de segurança máxima existentes no país.
O presídio de Campo Grande, por sua vez, abriga principalmente detentos ligados ao PCC, que é de São Paulo, além de grupos criminosos do Norte e Nordeste. Com isso, a integridade física de Cabral estaria mais "garantida".
No entanto, segundo a Folha de S. Paulo, com base em informações da Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Rio, no presídio de Campo Grande está preso Ricardo Chaves de Castro Lima, o "Fú da Mineira", um dos líderes do Comando Vermelho no estado.
Acusado de ter ordenado, da cadeia, ataques a delegacias e ônibus em 2009, durante a gestão de Cabral, está detido no Mato Grosso do Sul desde 2005. Além dele, outros nove criminosos fluminenses estão detidos na mesma penitenciária.
Atualmente, Cabral encontra-se na cadeia pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Se confirmada a transferência, o ex-governador deve ter uma rotina mais dura, já que em Campo Grande os detentos são monitorados por câmeras de segurança 24 horas por dias, as visitas só ocorrem uma vez por semana, no pátio da unidade, com tempo limitado a três horas, e os advogados são impedidos de ter contato físico com os clientes.
Além disso, conforme informações do portal G1, as celas costumam ter área de sete metros quadrados, com mobiliário feito de concreto.
Fonte: Noticias ao minutoo